Lar Cidades Polícia Civil apreende cobras exóticas e lagarto teiú que seriam enviados por Correios em Lavras, MG

Polícia Civil apreende cobras exóticas e lagarto teiú que seriam enviados por Correios em Lavras, MG

por
0 comentário
policia-civil-apreende-cobras-exoticas-e-lagarto-teiu-que-seriam-enviados-por-correios-em-lavras,-mg


Foram apreendidos duas cobras do milho (corn snake) e um lagarto teiú. Três homens foram autuados com base na Lei de Crimes Ambientais. Polícia Civil apreende cobras exóticas e lagarto teiú que seriam enviados por Correios
A Polícia Civil apreendeu duas cobras do milho, também conhecidas como corn snake, e um lagarto teiú na tarde desta quarta-feira (15) em Lavras (MG). Segundo a Polícia, dos animais silvestres seriam enviados por Correios. Três homens foram autuados com base na Lei de Crimes Ambientais.
📲 Participe do canal do g1 Sul de Minas no WhatsApp
Segundo a Polícia Civil, a ação foi realizada pela equipe de apuração de crimes ambientais. Os policiais foram informados que uma das cobras seria entregue na casa de um dos suspeitos. Diante das informações, a polícia foi até a casa dele e constatou que dentro do pacote entregue havia uma cobra-de-milho.
Durante novos levantamentos, os policiais conseguiram identificar outros dois suspeitos. Com eles foram apreendidos outra cobra-de-milho e um lagarto teiú. Os animais foram encontrados em três endereços diferentes.
Polícia Civil apreende cobras exóticas e lagarto teiú que seriam enviados por Correios em Lavras, MG
Polícia Civil
A corn snake é uma espécie é considerada exótica e tem origem nos Estados Unidos. Ela não é venenosa. Já o lagarto teiú pode medir até 1,5 metro e é considerado comum no Brasil, ocorrendo em quase todo o País, com exceção da Floresta Amazônica.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, os suspeitos foram presos em flagrante e autuados com base no artigo 31 da Lei de Crimes Ambientais, que diz que:
“Introduzir espécime animal no País, sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida por autoridade competente, a pena prevista para quem comete este crime é de detenção de 3 meses a um ano, além de uma multa”.
Os animais apreendidos receberam os cuidados necessários e depois foram soltos no habitat natural. Os suspeitos foram encaminhados para a delegacia, onde confessaram os crimes.
Por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, os suspeitos foram liberados após assinarem o Termo de Compromisso de Comparecimento à Justiça.
Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas

você pode gostar

Deixe um comentário